sábado, 23 de julho de 2011

A história das coisas II

(...)


Mesmo a sua única conta de e-mail. Essa guardava atualmente a incrível quantia de 8767 mensagens recebidas. Tinha a conta há seis anos. Mas admirava-se muitíssimo de ainda hoje, depois de tantas mensagens apagadas – algumas apagadas antes mesmo de serem lidas -, ter armazenado mais de oito mil e-mails. Se quisesse, com algum esforço – não muito -, poderia contar a história da sua vida inteira por aqueles e-mails - os recebidos e os enviados. Embora eles tivessem sido inventados, enviados, lidos e apagados no curto prazo, em perspectiva, de seis anos, certamente neles era possível ler a sua vida inteira.

“Se eu escrevesse a letra a nessa mesa, pensou, nela já estaria minha vida inteira?”

(...)

Um comentário:

Leandra disse...

ah! sim sim...
nossa caixa de mensagens é uma forma forma de contar nossa vida...
praticamente tudo que fazemos, é contado por ela..
os compromissos que não fomos, os que fomos, o que pensamos e compartilhamos, ideias, fatos, histórias!
tudo pode ser encontrado nelas...
nos vemos