quinta-feira, 10 de novembro de 2005

Muito boa vida para todos. Depois de um tempo de afastamento, ao meu ver, justificável pelo feriado prolongadíssimo da Unicamp e pelo aumento um tanto quanto excessivo de obrigações, acabado com o intervela de atualizações. Cabe, no entanto, avisar que o texto que se segue é baseado em acontecimentos da semana passada quando da minha ida à Botucatu.

Balada do amor inabalável

Pequenos atritos não proclamados, intensas alegrias escancaradas. Um feriado prolongado feito de descobertas descontínuas; e das cortinas, pendurado nos babados, surge os inesperados infiltrados na leveza dos momentos bobos; nas sutilezas das declarações, nos complexos das relações, no saber-me relacionado, no querer-me amado. Hoje tem festa no meu coração, tem balada na casa dos sentimentos, e eu já não sei se agüento mais badalações e tormentos num momento de pouca razão e muita emoção.

“Parei de escrever no meu blog porque eu ao quero tornar o meu espaço de reflexões, num cantinho de declarações.”
E foi assim que, com mais ou menos rimas, um grande amigo meu decidiu-se por tornar inativo um blog que o mesmo cultivava há mais de um ano. E eu, na contramão da sua intenção, venho registrar o já comprovado: o meu imenso amor por alguém especial. O que vou dizer, portanto, não deixa de ser uma declaração o que, para você, caro leitor, pode ser uma encheção.
“Algo de extraordinário aconteceu!”, pergunta-se o ledor mais ansioso. Não. Na verdade, passei incríveis 72 horas na feliz e acadêmica Botucatu.Muito bem recebido na República Tamar, vi as genuínas travessuras e gostosuras do dia das bruxas, rodeado por fadas. Muita mágica... “Acho é pouco!”, né, Dorré.
Contudo a descoberta mais fantástica não veio do “lots of fun” e sim do “Te quiero”. Como eu já disse, não que eu não soubesse, não que eu já não sentisse, mas os momentos banais, colocar minha comida ou prezar pelo meu conforto, por exemplo, mostraram o quanto sou amado e o quanto eu amo. E somente e especificamente pela minha namorada bonitinha, e sim e também pela minha grande amiga. Já de tantos anos, menina Mitiko mocinha.

Desculpem-me pela exposição de um assunto tão particular, mas era necessário que esse sentimento que perpassa o meu coração se concretizasse... em escrita, por meio de uma ação.

Felicidades Eternas e, nos vemos.

4 comentários:

Anninha disse...

Ai, ai... Como a simplicidade é um tesouro que poucos descobrem...

Fico muito feliz que seu feriado em Botucatu tenha sido maravilhoso.
Nada como estar ao lado de quem amamos! As atividades banais do dia são abençoadas e gloriosas quando envolvem amor.

Desejo que a simplicidade regue a sua vida junto com a Mitiko para sempre!
Um grande abraço e felicidades.

Anderson (Chorão) disse...

nao se desculpe por ser sincero!
fale, emudeça, sorria, xore, viva e morra de amor!
vá ser e fazer feliz...
lembre-se doq conversamos,ok?
grande abraço, meu amigo...

Ba disse...

Apaixonado como seeeeeeeeeeempre!!!

Anônimo disse...

Hey what a great site keep up the work its excellent.
»