quarta-feira, 26 de outubro de 2005

Tubaína, cerveja na roupa e latinha no pé

Roupa nova, cabelo cortado, sorriso no rosto e família no carro. Mais um pouco e... pronto: muito beijo no rosto, muitos braços de abraços no corpo, muitos “como vai você?”.
Terminada a formalidades, parto para a demonstração das habilidades com a lata, marcando com estacas o tamanho exato do gol no portão do vizinho. Somos nós, meninos e meninas, irmãos pitchucos e primos pirralhos, correndo na imensidão de uma rua sem-saída com a saída até nossos corpos cansarem. E a tarde anda e o relógio voa, e é esconde-esconde, duro ou mole, pega-pega, ou, de novo, futebol sem bola com latinha. Lá dentro, com os adultos, o samba rola, jovem rebola a guarda, o sertanejo come, o forró arrasta e a tia chora... de tanto rir das palhaçadas do tio.
Se entro na casa, é com a única intenção de comer, rápido, um pão com lingüiça e engolir um copo (mentira; uns três copos!) de tubaína funada. Levo no caminho uns três chutes na bunda de um tio, respondo que “a escola vai bem” para uma prima crescida, e saio antes mesmo da porta terminar seu movimento de abertura, se é que ela estava fechada.
E vamos indo até a lua chegar, as histórias diminuírem, os olhos dormirem, o primo cochilar e para casa os pais desejarem ir.
Mais uma festa, mais um dia alegre, mais uma noite que dormirei bem.


Descrição rápida, simpática e nada idealizada daquilo que, para mim, deveria continuar sendo mais um evento corriqueiro na minha vidinha: reuniões de família. Natal, ano novo, férias de verão, carnaval, páscoa, dia das mães, dos pais, feriados ensolarados, aniversários de irmãos, primos, tios, da vó, da mãe, do pai, churrascos do nada, festinhas pra tudo.
E, no entanto, onde está a unidade familiar? Talvez na pluralidade dos equívocos e desentendimentos, bem como confusões e precipitações, da vida.
Tributo à família, órgão vivo e agonizante, e todas às suas feições genealógicas. Que um dia as pessoas possam ser felizes juntas, uma, de novo, e em família!


Felicidades Eternas e, nos vemos.

*algumas dicas: entrem no blog do Anderson e leiam o texto datado do dia 13 de outubro (muito bom) e no blog da Milene que é o último dos links de blogs. Vale a pena conferir!

7 comentários:

Anninha disse...

Não sei se escrever sobre o assunto é um reflexo da falta da família na realidade, ou se é um produto daquilo que vivemos e estamos cultivando.
De todo modo, família é algo a ser preservado, ou para aqueles que ainda não tem, deve ser criada.
Um grande beijo.

Anderson (Chorão) disse...

cara, ha muitas coisas, além do tema de seu texto, a serem comentadas, e nao da p esperar a gente se bater em casa p poder trocar ideia, ate pq nossos encontros tornarma-se raros... enfim, p começo de conversa, vc continua melhorando muito sua escrita: seus temas do cotidiano sao muito bacanas e sua alegria e sinceridade explicitas de fato mexem comigo... familia: cara tenho uma familia gigante... minha familia de pai, mae e irmaos, tios, primos, etc etc etc vai de caotica à melhor do mundo... sei bem oq sao essas reunioes de pessoas q te botaram no mundo sem vc pedir, se metem na sua vida a todo o tempo, brigam e discutem, te amam, brinacam, xoram e se divertem juntas... enfim, familia é massa!!! e cada um q saiba aproveitar a sua, ate pq (como tudo na vida) nao ha familia perfeita.... mas da minha eu gosto, apesar de tudo!!! e sei lá,,,, bom, vlw pela indicação de meu texto do blog,fico sem graçapq axo q nao fiz nada de estrondoso... mas se estou sendo sincero e com isso consigo a identificaçaõ de alguem, ja me sinto banstante satisfeito... ainda mais se esse alguem for um grande amigo... como vc! bixo, tudo de bom e ate a proxima!!!

ElfaNaja (Milene) disse...

Família
Lembro-me tambés desses encontros
Na infância
Oh infância
Hoje, eles (todos)se encontram somente em casamentos ou enterros
mais enterros que casamentos
Mas... realmente
Tios e tias...
Apesar da pouca afinidade que tenho com eles...
Também gosto de reuniões de família
Pessoa se encontrando e se considerando família
Pelo simples fato de manterem laçoes de parentesco creem que podem sempre estar por perto
E isto faz com que o ser humano
Não esteja sozinho mesmo só
Mesmo mendigos tem lembranças de família
Lembrei-me agora do filme que assistimos "De passagem" os garotos jogando bola e mesmo longe ainda pode rolar um lágrima do rosto de um irmão
Mesmo brigados o sentimento prevalece
Família
Difícil de explicar
Mais difícil ainda não sentir...

Abs
ElfaNaja

Ps: Obrigada mesmo pela indicação do blog, fico feliz por saber que vc gostou das garatujas minhas...
Pelo menos nisso eu não to escrevendo taum mal neh... :)
Postei hj dinovu ta meio diferente pelos fatos dessa última semana, mas preisava escrever então...
Enfim, até mais tarde no latim!
MI

Cris disse...

Você consegue se superar a cada texto. Você anda lendo mentes de desconhecidos por aí? Adoro família! Família é um trem complicado a gente ama e odeia com uma intensidade assustadora. Mas as festinhas.. ahh.. as festinhas de família são ótimas: piada de tio, avós brigando com a criançada, cachorro dentro de casa e aquela bagunça deliciosa. E festa de família tem cheiro de um monte de coisa: de comida no fogo, de porduto de limpeza pré-festa, de perfume horrível da tia chata e maravilhoso do primo mais velho. E tem barulho.. batulho de td qto é tipo: copo quebrando, torneira pingando, gente falando mto e mto alto. Festas de famílias são coisas doces e família é a única coisa que com certeza vai te sustentar e ser sustentada por nós sempre.
Bjao.. obrigada por outro lindo texto!

Andressa disse...

Meu caro amigo...Seus textos estão muito bons..Hoje resolvi dar uma passadinha no seu blog e comentar, pelo menos assim vc não pode falar que eu nunca passei para visitar seu blog..Caramba..vc melhorou muito seus textos, alias vc sempre escreveu bem..eu tiro isso pelo super testo que vc ajudou a produzir, ou melhor produziu da nossa formatura de 8° serie, lembra??Pois é..grandes tempos..Então amigo só queria dizer que vou começar a visitar mais seu blog e dizer que mesmo com essa distancia vc continua sendo meu maninho de sempre..Espero que vc tenha muito sucesso e muita felicidade e vê se não esquece dos pobres..
PS: Ve se manda uns e-mails pra mim tambem, é logico qdo vc tiver um tempinho..que é algo muito raro.

Beijos e abraços para vc..

Anônimo disse...

Hmm I love the idea behind this website, very unique.
»

Anônimo disse...

intiresno muito, obrigado