quarta-feira, 5 de outubro de 2005

Putz, Puto, Pop, Punk

1,84m de altura, 70 Kg de peso (ou seja, magro e alto). Essa é a primeira descrição que se pode fazer de Caramelo, um moço que ainda não é homem e um rapaz que tampouco é moleque.
Certo dia, ele foi numa balada. Mentira; ele foi à balada nos dias certos, errados, duvidosos e confusos. Desde algum tempo ele pontua a sua vida com diferentes agitações noturnas. Na última semana, no entanto, ele saiu cinco vezes. Número, diriam os seus conhecidos, surpreendente, pois ele é um moço calmo e, até certo ponto, caseiro.
Na primeira saída, Caramelo foi ao Café Cancun. Local de curiosa decoração: iguanas subindo pelas paredes, troncos fincados ao chão, música, durante uma boa parte da noite, latina, mulheres tontas pelos infindáveis giros que faziam numa cadeira de barbeiro, coisa de barman (mecanismo interessante para misturar a bebida pinga-da dentro da boca).
Na festa seguinte, Festa Brega, no Campinas Hall, evento que agitou a comunidade universitária de Campinas, o nosso rapaz viu a grandiosidade de uma balada temática: dois grandes ambientes, música do sertanejo ao já passado hit “gasolina”, jovens loucos bêbados e, é claro, cenas iminentes de sexo. Festa divertidíssima, pena que Caramelo esqueceu-se de estar lá.
Evento duplo: teatro cult e vanguardista num quarto escondido, num sebo fechado, nas proximidades do centro de Santo André; balada de alto nível, com banda de bom som, numa casa nobre na cidade do ABC Paulista. Caramelo aproveitou cada minuto dessa noite, dançando, cantando, conversando, chorando (de amor), andando etc.
Por fim, e para terminar em grande estilo, o rapaz, praticamente baladeiro, para variar a faixa etária dos ambientes que freqüentava, foi ao show do Guilherme Arantes ver as tiazonas verterem lágrimas com “Amanhã” e expurgar dos olhos o “Êxtase” que o dominava.
Caramelo terminou essa seqüência de eventos confuso com o seu estar no mundo. Ele não se identificou com nenhuma das tribos que conheceu nesses ambientes. Contudo ele adorou ir a todos esses lugares. Estranho, não?
Questionou a juventude e a maturidade, terminando por optar por nenhuma das duas. Agora ele procura alguém que lhe explique a confusão dos seus sentimentos, a insegurança da sua personalidade e a volatilidade de suas sensações. Pergunta-se constantemente se todo jovem é assim ou se é apenas uma frescura sua. Ele sabe o número de variáveis que constituem tal situação: amor longe, planos apenas projetados, não querer pelo não gostar, querendo, muitas vezes, pelo agradar.

Termino, contudo, sem o fim. Prefiro não adotar, nessa narrativa, a convenção de resolver os conflitos, situações-problema, do meu personagem central. Resolva quem puder, quem quiser.

Felicidades Eternas e, nos vemos.

7 comentários:

Anninha disse...

Alê, acho que nunca sabemos exatamente quem somos, porque nunca somos alguém exato.
Ser é algo que vem do coração, e ele é o órgão que mais muda.

Não se preocupe tanto em se achar, porque a grande graça da vida é estar à procura, não interessa tanto o resultado da busca e sim os descobrimentos que fazemos no seu percurso.

Um grande beijo!

Anderson disse...

nao busque tanto qerer se achar onde vc nao está, mas ache-se sempre buscando o entendimento daquilo q nao compreende... ou seja, vc mesmo!
só a partir de entao, vc transcenderá! axo q é isso...

Fernanda disse...

Oi Alê!
Realmente, o Caramelo está bastante confuso com o mundo a sua volta. Mas podemos pensar nisso como uma vantagem: ele está correndo atrás da sua identidade, conhecendo diversas esferas dessa transição "adolescência-maturidade". Acredito que essa busca seja essencial para discernirmos do que realmente gostamos, ou seja, para fazermos nossas escolhas e quando atingirmos a total maturidade, já sabermos, apenas que uma pequena parcela, que caminho tomar...
Portanto, eu incentivo as aventuras do Caramelo por todos os caminhos que ele quiser trilhar para adquirir esses conhecimentos!
Um grande beijo...

Bartira Ginde disse...

Filhô!!! Eh o seguinte...
Vc sabia q os gostos mudam neh???
Vc naum eh uma pessoa e será assim para o resto de sua vida... Mesmo q vc seja adolescente. adulto.. sei la o que... vc muda muitas muitas muitas muitas vezes !!!
Lembre-se , há quem diga que prefere ser uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo !!!
Seja uma metamorfose ambulante, e se alguem te criticar, mande essa pessoa ir tomar no *
:)
Bjao

Juliana disse...

Ale, qdo o Carameloficar assim, faça ele se lembrar de Clarice Lispector, o mundo não foi feito pra Macabea, mas ela vivia, até atingir um grande momento de felicidade... ate se encontrar...
Então relaxa... vc ainda é um adolescente, tão confuso quanto qualquer um de nós... so aproveite a vida, vá conhecendo o mundo... afinal são as experiencias que contam, não é???
TE AMO VIU MEU AMIGO...
e espero a proxima para dançarmos "gasolina".

Satiko disse...

O Caramelo é normal, até porque pelo que eu entendi ele é uma criança grande. Não sabe o que quer, mas sabe o que não quer.
Simpático!!!!

falow, t+

Anônimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»