sábado, 14 de janeiro de 2006

O enigma da história na realidade

Harry Potter já não é mais o mesmo. O rostinho do menino vislumbrado conhecendo a escola nova é passado. Sua bombástica entrada para o mundo dos bruxos também ficou para trás. Agora todos o conhecemos, seja através do livro, seja através do filme, seja através da net, do game, ou mesmo de um primo ou amigo infeliz que tira um dia por semana para falar como adoraria de ver Rony com a Hermione. Harry e seus amigos cresceram.

Os críticos, influenciados pelo lançamento da versão cinematográfica de “O cálice de fogo”, dizem que o bruxinho agora sofre de adolescência. Eu, no entanto, prefiro tomar como verdade que o real conflito do garoto, além dos embates constantes com Voldemort, lorde das trevas, é a imprensa e esse capitalismo selvagem que teve coragem de transformá-lo em brinde da Folha de São Paulo e tema do mês do Mc lanche Feliz.

Não se pode mais sofrer em paz! O menino, ainda de luto por causa da perda de um amigo próximo, tem tido que viajar o mundo todo por conta da publicação do novo livro. Seus acessores preenchem o tempo que ele tinha para chorar com entrevistas em Fantásticos, lunáticos, gugus e com tradutores tortos que encontram dificuldade em traduzir ‘half-blood” para o Português.

Não se pode mais nem beijar em paz! Potter, adolescente das antigas que ainda sente constrangimento em convidar uma garota para sair, não teve tempo nem para se culpar de não conseguir pegar uma nipônica no seu quarto ano de escola. Os fofoqueiros de plantão já publicaram goela abaixo seu inexistente romance com a senhorita Granger. O jornal de ontem só serve mesmo pra embrulhar coco de cão. Mal sabem que Harry tem vivido um outro amor platônico, o qual ele já se deliciou e já terminou para dar prosseguimento a sua caça a Voldemort e a sua carreira musical, no terceto com Frejar e Júnior Lima.

Harry Potter já não é mais criança. Tem aproveitado seu dinheiro e suas influências, revendo o julgamento de Michael Jackson via penseira e sob o ponto de vista da vítima, e viajando para o Brasil pra ver Stones em Copacabana. Contudo, como só usa a vassoura para o quadribol e não tem idade suficiente para aparatar, foi obrigado a vir de avião!

Hoje, em Londres, ainda cansado de seus últimos compromissos e da idéia de começar o segundo ciclo de aulas do ano letivo, Harry deve estar aliviado e com “um novo ânimo ao pensar que resta um último e dourado dia de paz para aproveitar com Rony e Hemione”, antes do início das gravações de “A ordem da Fênix” e da composição de sua última saga, by J. k. Rowling...



Caros amigos, por falta de vergonha na cara para escrever uma resenha crítica sobre o sexto livro da série Harry Potter, o qual finalizei a leitura há alguns dias, deixei-me escrever um texto ficcional. Não quero, porém, que fique oculto o quanto gostei do livro, o qual só me fez ainda mais fã do bruxinho. um pouco de fantasia num mundo que assusta sempre faz bem, né!!!!!?????

Felicidades Eternas e, nos vemos.

PS: um agradecimento especial a Natalia Rampazo, que me emprestou de bm grado o livro e o lugar físico para lê-lo!!!!!!!!

3 comentários:

Bah disse...

Soh p/ vc saber que passei por aki blz!
:)
Bjus

ElfaNaja disse...

Ale!!!!

To passando pra te dizer que va bem nas aulas
E que sei que seu tempo vai fikar apertado aki viw
mas nunca deixe de escrever!!!
Bjus
Mi

ElfaNaja disse...

Rapaz
Mais uma vez passo por aki
e vc ainda naum escreveu
Escreva
Lembre-se sinta a chuva!
o vento a estrada!

Bjus